NECESSIDADES ALÉM DE AMOR!

Ter um pet pode ajudar no suporte emocional, na companhia do dia a dia, na

alegria e na redução do estresse. Mas não basta alimentar e dar banhos no

bichinho. Além da atenção e do amor, consultas periódicas e medicamentos –

quando necessário – fazem parte do suporte que você deve oferecer.

O portal da Anajustra – a Associação Nacional dos Servidores do Judiciário

Federal – postou uma lista com sete informações úteis para os servidores que

são tutores de pets, mas que servem para todos nós.

Veja a lista:

1-Mais alegria, menos estresse

Em contato com os bichos, o ser humano ativa o sistema límbico, responsável

pelas emoções mais instintivas. Isso faz com que ocorra a liberação das

endorfinas, gerando a sensação de tranquilidade, bem-estar, melhora da

autoestima, entre outros.

2-Menos alergias em crianças

Estudos feitos por um pesquisador da Universidade de Wisconsin-Madison

mostraram que ter um animal de estimação reduz em 33% as chances de que

as crianças desenvolvam alergias, pois com a convivência os pequenos

desenvolvem um sistema imunológico mais forte.

3-Mais atividade física

Uma pesquisa inglesa publicada na revista acadêmica Nature aponta que os

donos de cães são mais propensos a cumprir as diretrizes de atividade física do

que as pessoas sem um cão.

4-Mais saúde para o coração

Um estudo divulgado pela American Heart Association mostrou que ter um bicho

de estimação, sobretudo um cachorro, ajuda a afastar problemas

cardiovasculares.

5-Amigo da saúde mental. O animal de estimação contribui para a melhora da saúde mental de 74% das

pessoas, segundo um estudo elaborado pela Human Animal Bond Research

Institute (HABRI).

6-Menos diabetes

A American Heart Association, uma associação norte-americana do coração,

lista a redução do diabetes como um dos benefícios para a saúde decorrentes

de se ter um cão.

7-Ajudam a detectar doenças

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos aponta que cães são capazes de

“farejar” em amostras de sangue e saliva, com 95% de precisão, o câncer de

mama, pulmão, próstata e tireoide, por exemplo. O mesmo ocorre com a

hipoglicemia em pacientes diabéticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.