Você não é dono do Pet que mora na sua casa.

Não, não escrevemos errado. É exatamente isso! Você não é dono (a) de um pet. Você é o tutor! Ok, pai e mãe também são termos aceitos. Com o avanço da luta a favor dos direitos e do bem-estar dos pets, a palavra tutor é a correta a ser empregada quando você vai explicar que tem um pet em casa. O termo ‘dono’ deve ser extinto do seu vocabulário. Afinal, somos donos de bens materiais. De animais e pessoas, não. Somos companheiros, tutores, parceiros, amigos…

Em entrevista para o G1, Lucíola Cabral, presidente da Comissão de Direito dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará (OAB-CE), explicou bem. “É uma questão de como encaramos os animais. Quando nos referimos ao dono, isto faz parecer que os animais são coisas; quando nos referimos ao tutor, isto por si já expressa outro significado: entendemos que os animais são seres sencientes, ou seja, capazes de sentimentos”, disse a advogada.

A presidente ainda falou sobre a importância de adotar. “O ideal é que os animais sejam adotados, pois a comercialização faz pressupor que são bens negociáveis e não seres com sentimentos. Contudo, isto é uma questão cultural e que, como tantas outras questões, precisa de um processo de mudança de mentalidade”, disse.

Se você tem um pet comprado ou adotado, lembre-se de que é o tutor dele. A palavra, além de ser mais respeitosa, está aliada aos cuidados, carinhos e bem-estar do animalzinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.